sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

Preconceito e Injustiça

Publicado em 3 de setembro de 2023, às 11:30
Fonte: Elson Araújo – jornalista, advogado, escritor e membro da Academia Imperatrizense de Letras (AIL) e do IHGI.
Imagem: Internet

Não só o ser humano sofre preconceito. Alguns animais irracionais, por vários motivos, também são vítimas. Na crônica de hoje vou me ater ao pobre urubu. A princípio, quando se observa com atenção, logo se descobre que o animal não é feio.  O macho tem o porte grande e altivo, com envergadura de asas negras e brilhantes, que pode alcançar dois metros. As pernas são fortes e musculosas, possuem bicos longos e afiados. Já a fêmea, se difere pouco do macho. Difícil até divisar quem é quem, mas os biólogos dizem que ela tem um bico pouco mais fino, e a plumagem é mais opaca.

Fico aqui a imaginar: de onde tiraram essa história que o urubu é um pássaro feio?   Seria por causa das penas pretas? E se eles fossem coloridos como, por exemplo, o pavão, mesmo comendo carne podre, as pessoas continuariam a ter asco dele. É de se pensar, não é mesmo?  

É possível concluir que o urubu, ave encontrada em quase todas as regiões do planeta, além de vítima de preconceito, é um injustiçado; principalmente quando muita gente o associa a episódios ruins, ou agourentos. Veja, que lástima!   Ninguém anda fazendo poesia sobre urubu. Por favor, é preciso mudar essa visão!   

O Urubu até que, aqui e acolá, aparece numa estorinha infantil, mas a maioria das vezes associado a malandragem, como um esperto ou como um grande vilão. Lembram do Zeca Urubu, da turma do Pica-Pau? No animado ele aparece como preguiçoso, guloso e trapaceiro, que sempre tenta se dar bem às custas dos outros. De 1948, o desenho termina por aumentar a aura negativa que paira sobre esse bonito animal.

Ainda não conheço nenhuma estorinha na qual o urubu apareça como herói, mas tem uma história, aqui neste lado do País, na qual a ave aparece como heroína. Foi em Açailândia, nos anos 1990, e quem me ajudou a lembrar foi a hoje jornalista e psicóloga Silvana Silvestre, na época vereadora.

Foram os urubus que ajudaram a desvendar o escabroso Caso Célia. Um terrível crime de morte ocorrido naquela cidade. Quando não havia mais esperança de se encontrar o corpo da vítima, a então parlamentar sugeriu ao lendário delegado Zé do Capim. “Siga a pista dos Urubus”. E foi assim, que o corpo da mulher foi encontrado e o crime desvendado. A então delegada Radige Barbosa, também conhece essa história. Se não fosse eles, talvez o corpo não tivesse sido encontrado e o crime passaria longe de ser elucidado.

Há dias que ensaiava escrever essa espécie de desagravo ao Urubu, até porque é a ave símbolo do meu time do coração, o Flamengo, desde de 1969. Sabiam que a torcida do flamengo adotou o urubu foi como um símbolo de resistência contra o racismo?  A história é bonita, e merece uma crônica só para ela.

Sigamos, já para os finalmente do texto de hoje.

A partir da observação do comportamento do urubu, ali na nossa Beira Rio, e há muitos por lá, ele ganhou mais ainda meu respeito e admiração.  Perceberam que eles não bolem com ninguém? Estão sempre na deles. São aves sociais, que vivem em grandes grupos.  Quando aparecem, é para comer e passar um bom tempo em solo. Se falta alimentos, eles alçam voo e lá do alto, bem do alto, vão à caça. Imagino que enxergam bem, e assim como as águias, bem  longe. Mas as pessoas preferem dizer “fulano tem visão de águia” para se referir àquela pessoa que enxerga coisas, e oportunidades, melhor do que as normais, a “fulano tem visão de urubu”. Mais uma injustiça. Onde está a equidade?

O Urubu, se a gente raciocinar direitinho e passar vê-lo sobre um novo viés, tem uma importância extraordinária, assim como todos os outros seres da terra.  Com poucos predadores disponíveis, a não ser eventualmente a pedrada de um menino peralta, ou a maldade de um Snipe, de espingarda de chumbinho, a população de urubus só cresce, principalmente nas grandes cidades.

Vejam o primeiro sinal da sua importância!  Se eles estão se achegando às grandes cidades, é porque há escassez de alimentos no seu habitat, sinal de desmatamento ou de algum desequilíbrio ecológico.  E se nelas aparecem, o atrativo é a sujeira e a existência de carniça.  Olha aí, se é produzida sujeira orgânica e o poder público não limpa, eles aparecem no pedaço, fazem o serviço de limpeza e ainda ficam de buxo cheio. Um salve aos eficientes urubus!

Está claro que os urubus desempenham um papel importante no meio ambiente, e isso precisa ser respeitado. Em muitas culturas, infelizmente, ele ainda é associado à morte, destruição e mal agouro, talvez por se alimentarem de carcaça de animais mortos, no entanto, quando se observa o todo ambiente, essa visão associativa pode mudar para um simbolismo de vida, renovação, limpeza e resistência, assim como em 1969 percebeu a torcida do Flamengo ao adotá-lo como símbolo da luta contra o preconceito racial.

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Nós, do site Região Tocantina, queremos desejar, a todos os nossos leitoras e nossas leitoras, um FELIZ NATAL, repleto de fé, alegria, paz, saúde e felicidade.

E que as comemorações possam realçar nossos melhores e duradouros sentimentos.

FELIZ NATAL!

Publicidade