domingo, 17 de outubro de 2021

Entrevista – Julho Verde: a importância da campanha e dos cuidados para prevenir o câncer de cabeça e pescoço

Publicado em 12 de julho de 2021, às 19:36
O mês de julho, no calendário da oncologia, é dedicado a Campanha Julho Verde, que visa a informar a população sobre o câncer de cabeça e pescoço, além de destacar ações de promoção da saúde, prevenção, diagnóstico, tratamento e reabilitação. O dia 27 de julho é o Dia Mundial de Prevenção do Câncer de Cabeça e Pescoço. Os tumores de cabeça e pescoço são uma denominação genérica do câncer que se localiza em regiões como boca, gengiva, língua, laringe e tireoide. No Maranhão, a Rede Oncoradium realiza a divulgação de informações sobre este tipo de câncer nos seus canais de comunicação e na imprensa de modo geral. E, para falar mais sobre o assunto, o Notícias da Região Tocantina conversou com o cirurgião de cabeça e pescoço da Rede Oncoradium, Dr. Marcelo Ericeira.
Fonte: Da Redação
Imagem: Dr. Marcelo Ericeira explica os aspectos do câncer de cabeça e pescoço.

RT – Qual a importância do Julho Verde?

Marcelo Ericeira – Trata-se de uma campanha nacional de conscientização e prevenção do câncer de cabeça e pescoço. É uma oportunidade de trazer ao conhecimento da população os sinais e sintomas do câncer de cabeça e pescoço para o diagnóstico precoce e prevenção, pois muitos pacientes chegam com o tumor em estágio avançado. Além disso, o paciente, tendo um diagnóstico precoce, aumenta significativamente sua chance de cura.

RT – Quais os números da incidência do câncer de cabeça e pescoço no Maranhão?

Marcelo Ericeira – Não temos dados específicos do estado, mas o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que, no Brasil, 41 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço devem ser diagnosticados neste ano. No caso de Imperatriz, em 2020, o Centro de Especialidades Médicas dos Três Poderes registrou 55 pacientes com câncer nas áreas de cabeça e pescoço.

RT – Que cuidados devemos tomar para prevenir esse tipo de câncer?

Marcelo Ericeira – Bom,são quatro cuidados principais:

– Não fumar;

– Evitar o consumo excessivo de bebida alcoólica;

– Vacinar-se para prevenir a infecção pelo vírus HPV, pois este vírus é um dos responsáveis pelo câncer de colo do útero nas mulheres e câncer de orofaringe em homens e mulheres. A vacina está disponível gratuitamente pelo SUS – para meninos com idade entre 11 e 14 anos de idade, e para meninas entre 9 e 14 anos de idade;

– Evitar a exposição ao sol em excesso, pois está relacionado ao câncer de pele na cabeça e no pescoço.

RT – Qual a porcentagem de letalidade desse tipo de câncer?

Marcelo Ericeira – A letalidade deste tipo de câncer depende se o câncer for encontrado em estágio inicial ou já em estágio avançado. Se for diagnosticado precocemente, o paciente tem grande chance de ficar curado. O diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura do câncer de cabeça e pescoço. Um dos principais problemas para o tratamento é o diagnóstico tardio, que ocorre em 60% dos casos, deixando sequelas no paciente.

RT – O que a pessoa deve fazer depois de ter um diagnóstico de câncer?

Marcelo Ericeira – Ao apresentar uma lesão na região da cabeça e pescoço que não cicatriza por mais de três semanas; um nódulo (caroço) no pescoço que não cicatriza por mais de três semanas; ou rouquidão persistente, deve-se procurar um médico para melhor investigação. Se essa lesão for suspeita, será submetida a uma biópsia para confirmação do câncer. Caso seja confirmado, o câncer geralmente é tratado com cirurgia, porém, em casos selecionados, o tratamento é com radioterapia e quimioterapia.

RT – Qual a estrutura que o sistema de saúde da Região Tocantina tem para cuidar de pacientes com câncer, nas redes públicas e privada?

Marcelo Ericeira – Em Imperatriz, na rede pública, nós temos o Ambulatório de Oncologia do Centro de Especialidades dos Três Poderes. Os pacientes são atendidos inicialmente lá e, caso o câncer seja confirmado, eles são encaminhados para a Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia de Imperatriz (Unacon). Na rede particular, nós temos a Oncoradium Imperatriz, que é referência para toda a região. Atendemos pacientes do Maranhão, Pará e Tocantins. A nossa clínica tem atendimento particular, convênio e SUS, que são os pacientes encaminhados pela Unacon. Nós temos tratamentos de quimioterapia, radioterapia e atendimento clínico. Vale ressaltar que a Oncoradium Imperatriz tem uma resolutividade muito boa nos serviços prestados, com uma média de 50 a 60 pacientes atendidos por mês. Outra vantagem nossa é que quase não temos fila para atendimento. Vale lembrar que no Brasil a realidade é outra, temos muitos casos de câncer e poucos equipamentos, resultando em pacientes que levam de quatro a seis meses para iniciar o tratamento. Além disso, os pacientes que procuram a Oncoradium Imperatriz são bem acolhidos e recebem um tratamento com qualidade e humanização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: