sexta-feira, 22 de outubro de 2021

DISBIOSE INTESTINAL: é mais sério do que você imagina.

Publicado em 11 de março de 2021, às 10:09
Anyvlis Alencar – Nutricionista, especialista em nutrição infantil

O QUE É?

Disbiose é o termo científico que define o desequilíbrio entre as bactérias do intestino.

Todos nós temos trilhões de bactérias no instestino, sendo que estas podem ser, na sua maioria, bactérias boas ou bactérias ruins. As boas bactérias intestinais produzem vitaminas do complexo B, vitamina K, enzimas digestivas que só beneficiam a nossa saúde.

A predominância de bactérias ruins gera um desequilíbrio da microbiota, reduzindo a absorção dos nutrientes, gerando carências nutricionais e o aparecimento de doenças em nosso organismo, desde doenças intestinais até cardíacas, aumento de colesterol e do açúcar do sangue e até mesmo o ganho de peso.

COMO IDENTIFICAR?

Os primeiros sintomas que você pode sentir são:

Excesso de gases, azia, inchaço abdominal, dores abdominais, descontrole intestinal com situações de diarreia ou constipação intestinal, carência de vitaminas e minerais, estando mais susceptíveis a desenvolver esofagite, infecções urinárias, obesidade, alergias respiratórias, doenças autoimunes, depressão e até mesmo o câncer.

A disbiose pode acarretar sobrepeso, desnutrição e até o surgimento de outras doenças mais graves, como câncer, pancreatite aguda, esofagite, infecções urinárias e até depressão.

COMO TRATAR?

Se você está com um desequilíbrio instestinal, você precisa diminuir alimentos que podem inflamar seu intestino e organizar a sua alimentação para tornar mais fácil a digestão e a absorção de nutrientes. Veja as dicas abaixo:

1 – Evitar ao máximo farinha branca, açúcar refinado e industrializados.

2- Ingerir no máximo 150 ml de líquido junto das refeições, preferencialmente água.

3- Evitar muitas misturas na mesma refeição.

4- Aumentar o consumo de vegetais.

5- Evitar/diminuir o uso de antibióticos e antiácidos.

USO DE PROBIÓTICOS, PREBIÓTICOS E SIMBIÓTICOS: O que são cada um.

PRObióticos

São produtos cheios de bactérias saudáveis. Alguns iogurtes, queijos e o leite fermentado fazem parte da classe – também é possível encontrar probióticos em sachês e cápsulas. Os bichinhos, como lactobacilos e bifidobactérias, favorecem o trânsito intestinal, cooperam para o aproveitamento de vitaminas e defendem a região de intrusos.

PREbióticos

Podem ser definidos como o alimento para as bactérias da microbiota trabalharem direito. O sistema digestivo não consegue quebrar as fibras das comidas de origem vegetal, caso da cebola, do alho e da aveia. Os micróbios devoram esses compostos e, a partir deles, produzem substâncias benéficas à nossa saúde.

SIMbióticos

A nova classe oferece o pacote completo: alia probióticos e prebióticos num único item. Produtos como alguns lácteos, biscoitos e suplementos entram na categoria – mas seu consumo, por enquanto, deve ser prescrito por um profissional. É que os simbióticos ainda são objeto de discussão: não se tem certeza dos efeitos que teriam no corpo.

Dessa maneira, os alimentos probióticos, prebióticos e simbióticos estão sendo cada vez mais estudados para utilização como forma de prevenção de doenças relacionadas ao intestino, interagindo de forma benéfica com a microbiota intestinal, representando, assim, uma oportunidade real de melhorar a qualidade da dieta. É importante ressaltar que esses alimentos devem ser consumidos diariamente para obter um resultado satisfatório, além de manter uma dieta equilibrada.

Em caso de sentir qualquer um dos sintomas citados, procure um médico e em seguida invista no planejamento da sua alimentação para seu tratamento ser mais efetivo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: