sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Juliane Sousa – Mural da Literatura 003

Publicado em 1 de outubro de 2020, às 8:34

YTALO ANDRADE: DA INTROSPECÇÃO À SENSUALIDADE

Foto: autor

Ter a habilidade de escrever diversos gêneros e explorar vários temas é algo deveras admirável, o escritor que apresento a vocês hoje tem esse desejo, escrever tudo e de todas as formas possíveis.

Ele possui um estilo intimista, sensual e reflexivo. Esse escritor imperatrizense nos apresenta uma escrita simples e ao mesmo tempo muito intensa, com temas como a árdua luta cotidiana para suportar a realidade, a descrição poética de um ato libidinoso e detalhes de um desejo notório.

Ytalo Andrade mora em Imperatriz – MA, é um jovem maranhense de 26 anos, engenheiro por profissão, escritor por paixão e poeta por desilusão. Começou escrever com 17 anos de idade, depois do final do ensino médio para tentar expressar mais de si e tentar trazer um pouco mais de cores para um mundo cinzento. Tem como gêneros favoritos romance, drama e fantasia, mas, sempre buscando se aprimorar e inovando, almeja se tornar alguém capaz de escrever qualquer coisa. Como engenheiro e escritor, tem por objetivo encontrar a fórmula para reverter a entropia e aproximar o coração das pessoas.

PROSA – RENDIÇÃO

Eu tenho fugido
Tentando me esconder porque eu não sou mais forte o suficiente para aguentar a realidade.
E a realidade machuca
É complicado ter que aceitar que o tempo não volta e que pedidos de desculpas não vão ser o suficiente para ter perdão.
Que o que foi quebrado não pode ser refeito com fio de ouro para se orgulhar dos danos, mas sim é varrido jogado no lixo.
Que o tempo não volta e você não pode simplesmente recomeçar do começo, que a lembrança do início torna o final mais trágico e a sensação do meio se vê sufocada entre o começo e o fim.
E a dor na alma se transforma em uma dor crônica, como se um machucado nunca tratado e abandonado voltasse a doer toda vez que forçado, mas você meio que já se acostumou com a dor.
Você percebe que a realidade machuca quando você tem um sonho bom e começa a ter medo de dormir porque sabe que a dor de acordar de novo é tão cruel quanto a ideia de nunca mais dormir.
E é por isso que eu tenho fugido.
Tudo bem não querer lutar algumas vezes.
Existem batalhas que se é melhor perder.

POESIA – SOBRE A MESA

Quero me lambuzar no mel dos teus olhos
Enquanto provo do doce dos teus lábios
E sinto o sabor da tua libido
Brincando com seu corpo excitado

Arrancando o açúcar dos teus suspiros
Lambendo sua pele de chocolate caramelo
Enquanto me delicio com a doçura dos gemidos
Aceitando o convite do seu olhar tão sincero

De me embriagar no licor de tuas pernas
Com o suave tom alcoólico de um doce quente
Te fazer ferver em cozimento
Te servir de prazer tão docemente

POESIA – METEORO

 Está chovendo meteoros
Mas eu não vi nenhuma estrela
Apenas um céu de escuridão total
Sem a luz que se deseja

Um breu no céu infinito
Refletindo meu interior através do meu olhar perdido
Uma escuridão densa e pesada
Onde há apenas um pedido

Um desejo em meio às trevas
Como um eclipse em seus momentos finais
Eu desejo de coração
Que estrelas cadentes não existam mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: