domingo, 17 de outubro de 2021

UEMASUL desenvolve pesquisa para controle biológico do feijão-Caupi utilizando fungos

Publicado em 10 de setembro de 2021, às 8:42
O projeto tem o objetivo de ajudar o pequeno produtor a ter uma produção de boa qualidade e sem uso de agrotóxicos.
Fonte: Ascom – UEMASUL
Foto: Divulgação / Assessoria

O Maranhão é um dos principais produtores do feijão-Caupi e sua produção é destinada ao consumo doméstico, contribuindo para a geração de renda da agricultura familiar. O Trichoderma é um fungo que promove o crescimento e o controle biológico no manejo integrado do feijão, reduzindo a incidência de doenças no campo e ajudando na promoção do crescimento dessa cultura. O projeto está sendo desenvolvido por professores e pesquisadores da UEMA e UEMASUL, um aluno de doutorado e acadêmicos do curso de Engenharia Agronômica e do curso de Ciências Biológicas da UEMASUL.

A professora Ivaneide de Oliveira Nascimento, uma das pesquisadoras que atuam no desenvolvimento da pesquisa, explicou como surgiu o projeto. “O feijão-Caupi é uma cultura cultivada principalmente na agricultura familiar, por pequenos produtores. Eles possuem problemas de usar baixa tecnologia, então, há interferências na produção dessa cultura, principalmente pela incidência de doenças no campo. O projeto veio com esse objetivo, de ajudar o produtor a ter uma produção de boa qualidade e sem uso de agrotóxicos”.

A pesquisa foi desenvolvida em três etapas. A primeira foi a extração dos fungos Trichoderma, retirado das próprias plantas ou do solo. Em seguida o fungo foi levado para o laboratório, onde se multiplicou em placas de petri, cresceu e foi utilizado no próprio laboratório, controlando o crescimento do fungo chamado Fusarium. Na segunda etapa, o fungo Trichoderma foi testado na planta. A semente de feijão foi cultivada e germinou. Quando cresceu, foi inoculado o fungo que causa a doença, o Fusarium, e na terceira etapa o experimento foi instalado em campo, obtendo grande sucesso.

“Quanto à implantação do experimento em campo, em 2020, o projeto mostrou ser bastante promissor, devido à baixa incidência de doenças. A Mela foi a única doença que apareceu. Como essa foi a única doença que surgiu em campo, nós achamos esse resultado bastante positivo. Na planta, a gente conseguiu averiguar uma promoção de crescimento a partir desse fungo. Houve uma diminuição no aparecimento de doenças, houve também uma maior quantidade de clorofila nas folhas das plantas, aumentando a sua quantidade produtiva”, relatou o acadêmico bolsista participante do projeto, Luís Felipe Santos Sousa.

Agora, a pesquisa passa por uma nova etapa, a de identificação molecular dos fungos Trichoderma. Na sequência, serão determinadas as enzimas nas folhas das plantas que foram cultivadas em casas de vegetação e realizado mais um experimento em campo.

O projeto de pesquisa “Seleção e caracterização de isolados de Trichoderma spp para inserção no manejo integrado de feijão-Caupi” foi exibido na segunda temporada do Programa Univerciência, uma parceria entre a TVE Bahia e universidades públicas espalhadas pelo Nordeste. Esta é a primeira participação da UEMASUL no Univerciência, que conta com a colaboração de 40 instituições públicas de ensino superior do Nordeste, todos os 11 Institutos Federais nordestinos e da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: