domingo, 17 de outubro de 2021

O Legado Feminino da AJEB-MA na Coletânea “Por que Escrevemos?”

Publicado em 6 de outubro de 2021, às 9:14
Linda Barros, Professora e Atriz. Membro da Academia Poética Brasileira
Imagem: Facetubes

No dia a dia a vida nos desafia, nos faz reféns de tudo e de qualquer coisa. Tudo é um obstáculo a ser ultrapassado. Mas para quem lida com as palavras todos os dias, o maior desafio é desafiar o papel em branco. Muitos já tiveram aquele momento “me deu um branco”. Nesse instante, o que fazer para preencher esse espaço? Outras perguntas devem ser respondidas: ”Para quem escrevo”? ou “Quem vai ler meus textos”? ou ainda e principalmente,  “Por que escrevo”? Tais interrogações, talvez nem precisem de respostas, pois cada um tem seu momento, tem um assunto ou tema e um público específico e o mais cabíveis nessas argumentações, cada um tem uma emoção que motive a escrever.

Foi com essa ideia de fomentar a escrita, que a Associação Brasileira de Jornalistas e Escritoras do Brasil –AJEB/Ma, teve a iniciativa de unir suas associadas (todas mulheres) para juntas lançar a II Coletânea “POR QUE ESCREVEMOS: a voz da Mulher”. No Maranhão, a AJEB é composta por 26 mulheres, tem como coordenadora e presidente a escritora Anna Liz Ribeiro. Este é um forte movimento artístico-cultural que ratifica a força da mulher com ato de escrever e expor suas idéias e principalmente, onde todas têm voz e vez.

E falando em voz da mulher, abaixo a opinião de algumas das muitas autoras que compõem a obra, dando suas opiniões sobre o ato de escrever:

“A palavra é maior que eu./Escrever é sair de si e ir ali” (Heloisa Sousa);

“Por que escrevo?/Já sei:/Para lamber o chão” (Luiza Cantanhêde);

“Escrever/meu antídoto/pranto/acalanto”. (Sharlene Serra);

“Eu escrevo porque estou sempre perto do fogo, que me cura e flora” (Silvana Meneses);

“Está no meu sangue a tinta com que escrevo minha criação literária” (Wanda Cunha)

“A poesia é meu florescer, é meu espalhar semente” (Anna Liz)

“Através da minha palavra/eu me dispo corpo e alma/ mas também me visto/inquieta ou calma/muitas e muitas vezes”Dilercy Adler

A AJEB é uma associação de mais de 50 anos, que  atua desde 1970 e tem como principal objetivo estimular a união das associadas, fomentar a harmonia nacional e internacional, promover o intercâmbio de conhecimentos, ideias, experiências, amizade e respeito entre as associadas e com outras associações, incentivar o aperfeiçoamento profissional de suas associadas, por meio da participação em cursos, seminários e encontros culturais. No Maranhão, a entidade existe desde setembro de 2018.

Segundo Anna Liz, Presidente e Coordenadora da Ajeb-MA, “essa antologia é um importante instrumento de veiculação da literatura produzida por escritoras maranhenses que reúnem suas vozes para dizer: ‘estamos aqui espalhando nossa escrita no mundo’”. Anna Liz conta ainda que a ideia surgiu de alguns momentos de leituras e inquietações sobre o escritor e o ato de escrever “e daí surgiu a ideia de pensar nas escritoras maranhenses, de também em expor e falar o motivo que as levam a escrever”.

Muitas pessoas não conseguem dizer por que escrevem, no entanto, não temos fórmula, é um estado espírito. A escrita é um emaranhado de enigmas, por si só, é uma das mais verdadeiras formas de expressar a verdade de cada um. “É através dela que nos expomos e mostramos nosso lado mais frágil, mais duro, mais real. Escrever é a liberdade expressa através das palavras. É na escrita que dizemos o que realmente sentimos. E é na escrita poética, mais especificamente, que o eu poético de cada um consegue ultrapassar todas as barreiras, demonstrando toda fragilidade e força do autor ou autora” LB.

No dia 04 de setembro a AJEB-MA esteve presente na 21° Feira Internacional do Livro de Lisboa/Portugal para lançar a coletânea “Por que Escrevemos”. Na ocasião, contou-se com a presença da Presidente Nacional da Rede Sem Fronteiras, a senhora Dyandreia Portugal. Vale dizer que a Rede Sem Fronteiras é uma entidade organizacional cultural que promove e divulga a cultura brasileira e lusófona, a mesma está presente em mais países pelo mundo. A Feira acontece de 26 de agosto a 12 de setembro do corrente ano.

A obra “POR QUE ESCREVEMOS: a voz da Mulher” é organizada por Anna Liz e está em formato E-book, o mesmo pode ser adquirido pela Amazon e também está disponível na Rede Sem Fronteiras. O livro foi produzido pela Editora Letras Graciosas de Portugal e, posteriormente, será formatado em audiobook.

Finalizando essa pretérita escrita, deixamos aqui como texto ilustrativo o poema da escritora Ajebiana Heloisa Sousa, uma das participantes da Coletânea, que nos brinda com sua poética simples e sintética sobre o ato de escrever:

ORA, POR QUE ESCREVO?

 A palavra não cabe dentro de mim

as palavras me invadem crescem

ganham vida

se rebelam

 escapam

fogem

buscam caminhos viçosos

arenosos difíceis íngremes.

A palavra é maior que eu.

Escrever é sair de si e ir ali Sem destino.

Sem volta.

Escrever muda sua história, sua vida.

Conta.

Inventa.

Mente.  

Destrói.

Constrói.

A Palavra te inunda de poder.

De todo o poder.

Te entrega e te rouba.

Ninguém que escreve é normal ou quer ser normal.

 Escrever é subverter.

 É ser o outro em si mesmo.

É sentir.

Gritar e calar enquanto fala.

 É não sofrer nada

E mesmo assim morrer de dor.

Escrever é ir ali.

Mas e você, caro leitor, deixe aqui seus comentários respondendo à pergunta: Por que você escreve?

Uma resposta em “O Legado Feminino da AJEB-MA na Coletânea “Por que Escrevemos?””

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: