terça-feira, 26 de outubro de 2021

CINCO OBRAS QUE ADOREI LER RECENTEMENTE

Publicado em 12 de janeiro de 2021, às 8:28
Fonte: José Neres – Professor. Membro da AML e da Sobrames
Imagem: Unsplash

A leitura é vista por alguns como um ato solitário. Geralmente, quem não é muito afeito à leitura imagina que ela se constitui de um monólogo no qual o autor, quase sempre alguém já falecido, derrama suas ideias nos olhos e na mente de um receptor passivo que aceita tudo, depois fecha o livro e vai viver sua vida como se nada houvesse acontecido. Mas não é bem assim…

Ler não é um ato monológico, e sim um diálogo constante entre o pensamento/conhecimento do leitor e as ideias dos autores lidos. Um livro não é um objeto morto, mas sim um elemento pulsante que se adapta às situações e às diferentes épocas que podem separar (ou unir) gerações por meio de palavras, frases, versos, estrofes ou parágrafos.

É muito difícil alguém sair de uma leitura – por mais superficial que ela aparente ser – da mesma forma que entrou. Algum conhecimento acaba ficando tatuado no âmago do leitor, modificando, de alguma forma, o modo como ele interage com o mundo, com as pessoas ou até consigo próprio.

Mesmo que praticamente ninguém queira saber, passo agora a fazer breves comentários sobre cinco livros que li recentemente e os quais recomendo para todos leitores, sejam eles considerados iniciantes, médios ou avançados. Os livros não costumam fazer essa distinção e se abrem democraticamente a todos os que os procuram, embora não se possa negar que seja necessário um investimento pecuniário ou pelo menos em forma de disposição e tempo para que essa ação se realize.

Livro 1 – AS MULHERES DO BRASIL – A HISTÓRIA NÃO CONTADA, de Paulo Rezzutti (Editora Leya, 2018, 315 páginas) – Trata-se de uma longa, exaustiva e bem elaborada pesquisa sobre a participação das mulheres na história do Brasil. O autor traça o perfil de diversas personalidades femininas (algumas quase desconhecidas do grande público) e demonstra como houve um apagamento de algumas ações de nossa história em prol de um protagonismo masculino. A leitura é agradável e prende a atenção de qualquer pessoa que se interesse pelo tema, ou mesmo de quem apresente interesses apenas pontuais por uma ou outra das mulheres estudadas.

Livro 2 – TESTEMUNHA OCULAR: O USO DE IMAGENS COMO EVIDÊNCIA HISTÓRICA, de Peter Burke (Editora Unesp, 2017, 308 páginas). Embora seja uma obra de cunho teórico que apresenta foco de interesse aparentemente delimitado especificamente a pesquisadores, a escrita de Peter Burke é fluida e atraente, além de dialogar com variados campos do saber, como Psicanálise, Antropologia, Artes Visuais, Cinema e muitos outros conhecimentos. A leitura exige bastante atenção, mas o texto elegante e as ilustrações transformam o contato com esse livro em uma bela experiência capaz de alterar radicalmente a forma de o leitor se relacionar com as imagens que sempre o cercaram e muitas vezes passaram despercebidas.

Livro 3 – AS VERDADES QUE ELA NÃO DIZ, de Marcelo Rubem Paiva (Editora Foz, 2012, 191 páginas). Dono de um estilo bastante leve e claro, Marcelo Rubens Paiva aproveita suas crônicas para discutir de modo bem humorado, e até certo ponto cáustico, as relações familiares e as diversas fraturas sociais que podem advir de um convívio com alguém com quem convivemos, mas a quem nem sempre conhecemos de verdade. Cada texto pode ser lido em um fôlego e nos levam a perceber o que se esconde por trás das palavras ditas e até das que nunca são verbalmente expostas durante um diálogo.

Livro 4 – A ERA DOS EXTREMOS: O BREVE SÉCULO XX (1914-1991), de Eric Hobsbawn (Companhia das Letras, 1995, 598 páginas). Apesar de ser uma obra bastante volumosa e que assusta pela profundidade das análises, trata-se de um livro essencial para quem pretende compreender um pouco mais o nosso momento histórico contemporâneo. O livro, apesar de poder ser lido de modo isolado, acaba convidando para um contato com outras obras do autor. A riqueza de informações pede uma leitura mais tranquila e preocupadas com os detalhes históricos que se encaixam como se formassem um grande quebra-cabeças.

Livro 5 – A SOCIEDADE DOS RISCOS: RUMO A UMA OUTRA MODERNIDADE, de Ulrich Beck, Editora 34, 2019, 383 páginas). Outro livro que exige uma leitura bastante atenta, mas no qual o leitor acaba recompensado pela fluidez do raciocínio do autor e seus mergulhos em exemplos que acabam clareando sua tese principal: vivemos em constantes riscos e eles não são aleatórios, muito pelo contrário, parecem ser orquestrados para terem um determinado efeito dentro de um sistema. Esse livro de Beck é um dos pilares de sustentação do pensamento contemporâneo.

Pronto. Acima estão cinco sugestões de leitura para quem deseja iniciar um ano acompanhado pelas páginas de um belo livro.

3 respostas em “CINCO OBRAS QUE ADOREI LER RECENTEMENTE”

Geralmente mantenho um diálogo silencioso com o autor, especialmente quando não concordo ou não gosto de uma ou outra abordagem. Isso me atrapalha um pouco, pois perco tempo fazendo anotações etc. Para saber se já li um deterninafo livro (dos meus, claro) ou ver até onde eu li, basta verificar se as páginas estão marcadas e rabiscadas. É o meu jeito de ler, e o faço com certo prazer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: