sexta-feira, 22 de outubro de 2021

CRIS

Publicado em 31 de dezembro de 2020, às 9:11
Fonte: Axel Britto – produtor cultural
Foto: Axel Britto

Fortaleza, 31 de Janeiro de 2020

Estou aqui, parado na mesa do Bar Itaparika, na praia do Futuro, com sua carta na mãos, sem fazer absolutamente nada além de respirar através da máscara e sentir muita saudade, ouvindo um jazz no rádio com o calor do começo de verão e o suor escorrendo pelo meu corpo a começar a molhar as mãos e a dissolver a tinta das letras de sua carta – só quero que não demore a vir me ver, não é de praxe moças bonitas como você deixar alguém esperando tanto, tanto.

O gosto das lágrimas chega a partir do momento em que leio a sua incompreensão com os humanos supremacistas cuja vaidade, moralismo e atormentada ambivalência os deixam singularmente infelizes e destrutivos e desta forma enxugo as minhas lágrimas com o guardanapo da mesa que não acaba mais, com os quais procuro também o cheiro dos teus dedos, que como passarinhos na manhã anterior procuravam soltos o ninho no meu peito como abrigo, despencados de voos cansativos. Poderia escrevê-la agora eu- quero- -viver-pra-sempre-com -você, e assim penso no que você escreve, quando você afirma que a consciência humana é superestimada, o que concordo e chama atenção com isso, da ansiedade alardeada que temos com a capacidade de pensamentos abstratos muitas das vezes trazendo problemas a nós mesmos, onde embora sejamos a única espécie a empreender a investigação cientifica, somos também a espécie que perpetrou genocídios conscientemente (que vergonha!que tristeza!! a pandemia em que nos encontramos, e diante de perdas agora temos que reconstruir outros modos de vida).

Entendo, Cris, suas palavras quando afirma que os humanos gostam de se considerar especiais, e o que os torna especial também os faz ser os piores. Gosto de sua intuição felina e quero aprender com voce, gata, a aliviar o fardo que carrego como ser humano, e na sua companhia, construir uma relação unida pela não dominação e submissão, a não seguir nenhuma das hierarquias estabelecidas que moldam as interações entre humanos, quero viver ao teu lado sentindo desejo pelo teu desejo, alegria pela tua alegria, e beleza por tua beleza, criando circunstâncias felizes em teu convívio, por isso, gata, sentir desejo pela alegria, beleza pelo desejo e alegria pela beleza, e uma coisa fique certa: “a porta vai estar sempre aberta, amor o meu olhar vai dar uma festa, amor na hora que você chegar…”.

E que possamos criar desta relação 2021 poesias deste encontro de nossas expressões corporais a ronronar de prazeres e a romantizar, através de cartas, as sujeiras humanas, ronronando desse diálogo a terapia de sermos mutantes a sempre criar, viver e perder medo e coisas, brincar, semear canções ao vento, revolucionando o amor que temos um pelo outro como vocação, a sempre sermos felizes e autênticos.
Te amo
Feliz ano novo!!
Um beijo do teu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

Sites relevantes para pesquisa

Publicidade

%d blogueiros gostam disto: